11.10.17

Favoritos do Mês: Agosto/Setembro, 2017

Depois que terminei de fazer a ilustra para o post, percebi o arzinho meio borocoxô que ele tomou e me assustei um pouco: significa que alguns ranços aqui guardados estão começando a transparecer nas coisas que estou fazendo.

Sabe, antigamente eu me considerava boa em maquiá-los, camuflá-los, deixá-los quietinhos num cantinho. Hoje, não se trata do cachorro velho ter desaprendido os truques, e sim que o copo começou a transbordar. A fim de podar essas trepadeiras traiçoeiras que têm se enroscado pelos meus  pensamentos e sentimentos, já estou indo atrás de ajuda profissional.

Desculpe o excesso de metáforas até aqui, mas foi o único jeito que encontrei para deixar o papo mais leve sem desviar da verdade. Espero poder fazer um novo Favoritos com notícias melhores em breve. Bom, nem por isso este post deixou de ser criado e maturado com muito carinho! 💙 Por favor, confira meus Favoritos de agosto e setembro:



1. Blue Bird Fotografia


Já faz umas semaninhas, mas fotos da pessoinha que vos escreve estão fazendo parte das páginas (é só clicar nos links do menu superior) e da capa da fanpage no Face! 📸 Essa foi, na verdade, a realização de uma das grandes metas que tinha traçado para 2017 e não poderia ter conseguido sem a ajuda dos fotógrafos Thais e Reynolds, o casal que toca a Blue Bird Fotografia.

Desde o momento em que tomei coragem para contatá-los, tinha a ideia fixa de fazer fotos conceituais, sem olhar direto para a câmera e que tivessem um ar urbano, talvez até mostrando um pouco da identidade de Curitiba. Pois bem, acho que o dia em que fizemos a sessão não poderia ter sido mais tipicamente curitibano: friozinho e nublado. Me encontrei com o casal nas escadarias da UFPR e as laterais do Prédio Histórico emolduraram boa parte das fotos.


Ah, mas o ensaio não era apenas sobre o blog; havia um bichinho curioso aqui dentro de mim querendo saber como eu poderia ser vista ou captada por uma lente profissional. Bom, uma coisa ficou muito clara para mim durante a sessão e se confirmou quando vi o resultado final: eu sou toda dura, haha! 😂 De fato, não tenho muita consciência corporal e fiquei bem ansiosa-nervosa-perdida na oportunidade. No mais, perceber os olhares dos transeuntes tentando entender porque a guria toda dura lá estava sendo fotografada na rua não ajudava a me acalmar, haha... 😳

Saldo da história? Estou feliz por agora ter um acervo de fotos bonitas minhas e pelo encontro com alguns dos talentos locais que mais fico stalkeando nas redes sociais, hehe! Agradeço muito à Thais e ao Reynolds pela paciência, de verdade. Recomendo uma passadinha no Instagram da Blue Bird para babar nas fotos, falar com esse casal bacana e marcar o seu próximo ensaio fotográfico! 💙

2. Boku no Hero Academia


Ahá! Finalmente, consegui assistir a Boku no Hero Academia e... Estou viciada, haha! ✌️ Na verdade, essa história tem todos os ingredientes de um típico shonen, até aquela certeza de que nosso protagonista será bem-sucedido no futuro, então não haveria nada de novo sob o sol, mas... Sabe quando um filme, uma música, uma série te pega de jeito porque está falando com o seu momento? Foi assim mesmo que Boku no Hero me fisgou. 🙋


Ter superpoderes é o novo "normal": num mundo em que cerca de 80% da população nasce com "Individualidades" dos mais diferentes tipos, os 20% restantes são completamente impotentes. Desde cedo, Midoriya Izuku soube que era uma dessas raridades e foi discriminado por isso. Um destino muito injusto para quem não queria mais nada, senão se tornar um Herói profissional.

Contudo, a chama de esperança continuava acessa no jovem, que admirava e estudava outros heróis sempre que possível. Eis que, um dia, sua persistência parece gerar frutos: Izuku não apenas encontra o maior Herói de todos, seu ídolo All Might, como este também o escolhe como seu sucessor, transmitindo-lhe sua única e poderosa Individualidade!

Após meses de duro treino, Izuku entra para a U.A. High School, uma escola colegial famosa por seu excelente programa de treinamento para Heróis. Com calouros promissores neste ano e a eminente ameaça de uma organização de Vilões, Izuku logo aprenderá o que realmente significa ser um Herói.

Essa minijornada de menino Izuku diante das adversidades, que compreende os primeiros episódios, foi responsável pela fisgada fatal. Super me marcou a parte na qual ele percebe que receber aquela poderosa Individualidade lhe concedeu apenas a chance de estar na linha de largada; agora, Izuku tinha de se esforçar muito mais do que os demais, que já sabiam usar seus poderes há tempos, para atingir seus objetivos. 🏃

Com o decorrer da história, dá para perceber uma narrativa sensível a lados inesperados, mas muito humanos dos personagens, revelando os medos dos Heróis e a racionalidade dos Vilões. Mais do que as lutas alucinantes, acredito que os diálogos são outro atrativo a se prestigiar, principalmente a forma com que o autor aborda a importância da simbologia dentro desses dois grandes pólos sociais da sua história. 👀

3. Massagem facial de Tanaka Yukuko


Pensando em cuidar um pouquinho melhor do meu rosto, lembrei de um vídeo japonês que havia assistido no ano passado com instruções para uma massagem facial "anti-idade" e resolvi ir atrás dele novamente para aplicar à minha rotina matinal. 💆 O princípio da técnica é direcionar a circulação, de forma que mais toxinas sejam levadas aos vasos linfáticos, sendo que boa parte deles estão localizados nas extremidades laterais do pescoço.


Essa massagem foi criada por uma maquiadora muito famosa chamada Tanaka Yukuko, que infelizmente faleceu há alguns anos por câncer na laringe. Não dá para dizer, contudo, que foi uma fatalidade: Tanaka-san chegou a ficar no topo de uma pesquisa de opinião sobre qual celebridade o público gostaria que parasse de fumar - e olha que raridade mesmo é ver adulto no Japão que não fume...

Vamos, então, ao momento "testei e aprovei": desde que comecei a realizar essa massagem, senti a minha pele um pouco mais aveludada e saudável. Acho gostosa a sensação de "músculo trabalhando" que fica no rosto depois de estimulá-lo, já que é necessário imprimir um pouco de pressão e calor com toda a extensão dos dedos para a massagem dar certo. Ainda há a expectativa para que sinta as minhas feições mudando, mas, como comecei há uns dois meses, imagino que seja cedo para isso acontecer... 😅

Obs.: Ah, esse vídeo tem mais duas partes; acesse pelo YouTube que você encontra todas as instruções rapidinho 😉

4. Okja (2017)


Nova York, 2007. CEO de uma poderosa empresa, Lucy Mirando (Tilda Swinton) apresenta ao mundo uma nova espécie animal, descoberta no Chile. Apelidada de "super porco", 26 exemplares dessa espécie são enviados a fazendas de países distintos, de forma que cada uma possa apresentá-lo à sua própria cultura local. A ideia é que os animais permaneçam espalhados ao redor do planeta por dez anos; após esse período, todos participarão de um concurso no qual se escolherá o melhor super porco.

Uma década depois, a jovem Mija (Seo-Hyun Ahn) convive desde a infância com Okja, o super porco fêmea criado pelo avô no interior da Coreia do Sul. Prestes a perdê-la devido ao tal concurso, Mija decide lutar para ficar com Okja, custe o que custar.


A essa altura, eu já tentei escrever esta linha umas três vezes, mas é difícil comentar sobre "Okja" sem me considerar hipócrita. Quero dizer, se tenho uma pequena noção de como é a indústria da carne e de como o marketing das coisas funciona, então teoricamente a trama não estaria trazendo nenhuma novidade e eu não teria o direito de ficar sentida ou chocada em momento algum do filme - ainda mais pelo fato de não ter deixado de consumir carne por conta disso.

Então, o que trouxe essas emoções? Acho que foram o esforço da primeira parte do filme para que conheçamos a relação de Okja e Mija - parecida com a que temos com um bichinho de estimação, atribuindo até sentimentos e reações humanas à super porca - e a mea culpa por Okja ser uma criatura fictícia.

Inclusive, talvez essa seja a pior característica, porque cria uma lacuna que podemos preencher com qualquer animal e com qualquer propósito, afinal crueldade com animais não é de longe exclusividade da indústria alimentícia. A cereja do bolo para se sentir mal foi o final mesmo, com todos os tapas na cara possíveis: a menos que seus propósitos sejam marketeiros, ideais não têm valor num sistema capitalista e suas engrenagens não deixarão de se mover por conta deles. Ouch.

Embora eu tenha terminado o filme me sentindo desconfortável, tive de ficar ruminando por vários dias sobre o que tinha assistido para chegar a algumas dessas conclusões, como visto, mais desconfortáveis ainda. Atribuo isso à habilidade excepcional do diretor sul-coreano Joon-Ho Bong - que também me fez pensar por dias sobre "Expresso do Amanhã" -, o qual toca nas feridas sociais de uma forma sutil, mas muito pertinente, te forçando a revisitar a história na cabeça por muito tempo.

▼▼▼

O post começou meio tristinho e terminou assim também, né? Haha!
Não foi a intenção fechar assim, mas aconteceu...

E aí, você já fez um ensaio fotográfico? Quem sabe, viu alguma dessas dicas?
Conta aí, vamo se amar! 💙

8 comentários

  1. Oha, Karupin!
    Espero que você supere essa fase e que esteja bem. Eu sei que todo mundo passa por fases de altos e baixos, mas não deixe se esmorecer e sei que você vai conseguir sair dessa.

    Confesso que tinha muita vontade de fazer ensaio fotográfico, mas coragem, onde você está? E olha que tenho muitos conhecidos aqui que são fotógrafos e alguns amigos meus fazem ensaios com eles. Mas coragem, onde??? O seu ficou joia! E voce dura onde?

    Boku Hero Academia ja ouvi falar, mas acredite, eu ainda nem cheguei perto. Ultimamente, eu estou uma lástima pra animes, e olha que a trama de Boku Hero é interessante. Só falta eu ter mais um tempinho para isso.

    Se cuida, querida!

    Beijao <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoe, Kiyomi-chan! Tudo bem?

      Ah, é difícil, mas a gente vai levando, né? Nos últimos dias, tenho tentado ver essa situação de uma forma um pouquinho mais positiva, embora os pensamentos trevosos continuem à espreita. Talvez essa seja uma oportunidade ímpar na minha vida de revisitar e procurar uma solução aqui dentro para problemas pregressos não resolvidos, tudo com a ajuda de um psicólogo. Sei lá, esvaziar o peito com alguém disposto a ouvir sem condições de julgar e levar pra frente por si só pode ser parte do que eu preciso...

      Ah, sério? Nossa, eu indico de verdade fazer um ensaio. Se você, em algum dia, acordar com vontade de fazê-lo, vai na louca pra não perder o embalo, flor! ♥ E obrigada! Ah, mas essas fotos eu cortei um pouquinho; as originais têm minha cabeça enorme completinha, hehe! Só não entendi sua pergunta do "e você dura onde?"

      Se seus amados dramas não têm chance, com base no que você disse nos seus últimos posts, imagino que seria difícil assistir Boku no Hero Academia mesmo... Mas não tem problema, Kiyomi-chan! Eu já fico feliz em saber que você achou interessante :D

      Obrigada pelo carinho e pelos votos de melhoras, flor!
      Você também se cuide por aí, viu? ♥

      Beijos~

      Excluir
  2. Olá Karu, coincidência entre nós: também uso metáforas para explicar os meus sentimentos ruins e, incrivelmente, assim é bem mais fácil. Tenho mais facilidade para desabafar usando metáforas. Por favor, querida, não sufoque teus sentimentos dentro de ti, isso só piora as coisas. Sabemos que uma hora tudo transborda! Você é humana e não um ser perfeito então permita-se ceder às vezes. Caso queira um ombro amigo, meu email é raianys041@gmail.com, pode falar comigo se precisar, ok? Não te conheço ainda mas me preocupo com o teu bem-estar assim como o bem-estar de todos. Fique bem, e se cuida!
    Ah, gostaria de agradecer imensamente por ter compartilhado essa técnica de massagem, isso vai me ajudar muito! kkk
    E sobre o filme, parece interessante. Mas só vou assistir quando tiver coragem porque sou extremamente sensível. Sei que hipocritamente vou sentir muita culpa, mas atualmente não tenho condições de substituir os alimentos de origem animal, infelizmente.
    Um abraço, Deus abençoe. Esse é o meu novo blog:
    https://alegoriaprimavera.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoe, Raiany flor! Tudo bem?

      Pois é, menina! Não sei o que acontece que metáforas ajudam tanto a transmitir esse tipo de coisa. Ao mesmo tempo, até sinto que quem ouve/lê consegue visualizar bem claramente o que estamos passando com essa "linguagem visual". Mas, no final, sei lá... Parece que estou passando uma imagem de dramaqueen fazendo uso desse recurso e é a última coisa que quero nessas horas, haha...

      Ai, lamento que seu primeiro comentário por aqui seja com um contexto meio tristinho da minha parte, mas muito obrigada pelo carinho e pela preocupação! Você é um amor ♥

      Sobre a massagem, vai fundo, flor! No início, isso pode tornar o ritual matinal um pouquinho mais demorado, mas acho que vira um carinho a mais para encarar bem o dia. Só não esquece de usar algum produto para os dedos deslizarem e evitar de machucar a pele do rosto, tá bom? :)

      De fato, é meio impactante assistir a Okja sem estar um pouquinho preparado emocionalmente. Foi assim quando vi com a minha família; se soubesse que a moral era essa, não tinha feito o convite para assistir junto. Acabamos mudos, sem palavras, cheios dessa sensação desconfortável que mencionei. Que tal tentar "Expresso do Amanhã"? :)

      Muito obrigada por ter visitado e comentado, flor!
      Vou dar uma conferida no seu blog nos próximos dias! ;)

      Beijos~

      Excluir
  3. Acho que todos passamos por momentos assim, né? Eu tinha decidido voltar com o blog pra ver se essa baixa astralidade toda que me dominou passasse. Como é nosso cantinho, fica meio difícil não deixar transparecer isso. Mas faz parte, eu acho. O bom é que está procurando ajuda. Muita gente acha que "vai passar" ou que "não precisa". É sempre bom ter um apoio profissional nessas horas. Por sinal, tô com saudades da minha terapeuta, haha!

    Achei muito legal você ter feito essas fotos. Eu sempre quis fazer, mas morro de vergonha. Um amigo me fotografou uma vez, no Botânico. Essas fotos morreram junto com o meu notebook. A gente fez a noite e quase não tinha gente o que me deixou menos nervosa. Mas ainda assim, fiquei bem tímida. Pedi pra ele não postar em lugar nenhum xD

    Eu quero assistir Boku no Hero, meu namorado tá lendo o mangá e está adorando. Mas sinto que não tô na vibe dele, ainda :(

    Eu não tenho muita paciência para cuidar de mim mesma. Mas estou querendo começar, já sinto as marcas do tempo me afetando (é puro drama - mais ou menos). Eu vou salvar esse vídeo pra dar um bisu depois, mas tenho certeza que vou ficar com preguiça de fazer. Mas achei incrível :O

    Okja é um que não tô muito afim de ver. O amigo do meu namorado fez parte do grupo de CG do filme e ele fica me enchendo pra gente assistir. Só que, eu não consigo ver esse tipo de filme atualmente (ando muito sensível). Eu já evito comer carne o máximo que posso, peixe e frango ainda são minha fraqueza. Eu quase choro, só de pensar no sofrimento dos bichinhos T_T eu amo minhas gatas! ♥ HAHA só pra não terminar baixo astral aqui tbm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoe, Mari! Tudo bem? :)

      Concordo, faz parte mesmo transparecer a bad num cantinho todo especial como o blog. Mas vamos atrás das soluções; não quero que o barquinho afunde sem ao menos tentar remar, hehe. ^^"

      Ah, mas fazer as fotos deu vergonha mesmo, então te entendo! Inclusive, boa parte das primeiras fotos ficaram com um sorrisinho torto justamente porque não sabia que cara fazer naquela situação, haha! Ao mesmo tempo, agora eu incentivo todo mundo a tentar fazer para descobrir como fica mesmo sob o olhar fotográfico de alguém, sabe? É muito interessante a experiência! Tenta de novo, Mari flor! ♥

      Sobre o que tinha sugerido assistir, bom, acho importante respeitar sua vibe, porque isso influencia muito na forma em que a gente vai absorver o conteúdo, por mais que pareça não ser possível a abertura a mais tipos de interpretações.

      Boku no Hero é leve; se pah de surgir uma vontade de ver shonen, é o que recomendo no momento, de verdade! Agora, Okja... É, eu não recomendo para quem está muito sensível com o tópico. Eu sou meio maso nesse quesito e gosto de levar uns tapas morais na cara vez ou outra (tanto que o que gosto mais de assistir e ler são distopias e críticas sociais).

      Por fim, sobre esse momento de carinho com o seu corpo... Eu não estou cheia de moral pra recomendar, porque também me bate umas preguicites loucas de vez em quando. Mas assim, tudo que a gente faz acaba envolvendo cuidado com pele ou corpo, então faça o que você acha mais tranquilo e tá tudo certo :)

      Obrigada pela visita e pelo comentário, flor! ♥
      Beijos~

      Excluir
  4. Oi Karupin, espero que você esteja se sentindo um pouco menos angustiada com esses sentimentos/pensamentos negativos. Todo mundo passa por essas fases mais complicadinhas, torcendo aqui para que só seja uma fase MESMO e para que passe logo. <3

    Essa massagem deve ser uma maravilha! Só de olhar no vídeo já fiquei um pouco relaxada, será possível isso? Hahaha! Tenho vontade de experimentar sim. :)

    Eu já queria assistir Okja e agora quero MUITO assistir Expresso do amanhã. Eu conhecia a hq francesa e não fazia ideia de que existia uma adaptação para o cinema. Que incrível isso!

    Um beijo querida ~ e fiquei bem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hoe, Camila! Tudo bom? :)

      Ai, acontece, né? Eu diria que estou um pouquinho melhor do que no momento em que escrevi este post, mas é mais porque percebi que não deixei a peteca cair ainda. Muito obrigada pelo seu apoio, flor! ♥

      Hahaha, é possível sim, flor! Na primeira vez que vi esse vídeo, com o áudio mais baixinho, me arrepiei todinha só de ver. Sei lá, tem dias que nossa imaginação parece ser peralta o suficiente para conseguirmos projetar um pouquinho do que deve ser a sensação a que a gente assiste... E é bom, haha!

      Sobre Expresso do Amanhã, pois é, menina! Por mais que boa parte do elenco seja ocidental (tem o Chris Evans até!), foi meio enrolado trazerem esse filme da Coreia do Sul para estrear por aqui, em meados de 2015... Mas recomendo bastante ir atrás e assistir. :)

      Obrigada pela visita e pelo comentário, flor!
      Beijos~

      Excluir

O Blog tem Instagram » @subindonolustre

© Subindo no Lustre. Design by Fearne.