É, pessoal, não tem nada de novo sob o sol mesmo: como podem ver, estou toda atrasada com os Favoritos, haha!

Mas vamos voltar aos trilhos, começando por março: mais um mês que foi agitadinho, dominado por reformas e pinturas que me fizeram perceber melhor coisas como acabamentos nas paredes e tetos. Se você me ver encarando por uns bons segundos esses cantinhos, eu não tô louca, é só por conta disso, tá? Haha!


1. Logan (2017)


Confesso que não estava com todo esse hype quando esse filme saiu, mas o que me chamou a atenção foi o fato de tanta gente elogiar um filme de super-herói, sem o fazer, porém, pelos seus efeitos especiais. No final, Logan me surpreendeu muito e ouso dizer que foi um dos melhores filmes do gênero que saíram até o momento!

Num futuro pouco distante, a população mutante foi reduzida drasticamente e aquele grupo uma vez conhecido como X-Men já não existe mais. É difícil associar o Logan desses tempos ao Wolverine durão que chegou a ser: com seus poderes enfraquecidos, ele tenta viver como motorista particular enquanto se entrega ao alcoolismo.
Certo dia, uma estranha o identifica e lhe pede para levar uma garotinha até a fronteira com o Canadá; relutante de início, Logan resolve atender ao pedido quando Professor Xavier - outro dos poucos mutantes sobreviventes, porém está bastante debilitado e sob seus cuidados - revela que estava se comunicando com ela e a aguardando há muito tempo.
Ocorre que Laura também é uma mutante, com incríveis habilidades de luta que muito se parecem com as dos dias de glória de Wolverine. Contudo, parece ser esse o motivo para ela ter se tornado o alvo de uma poderosa organização, o que dá início a uma perseguição implacável.


Foi uma despedida muito digna entre Hugh Jackman e Wolverine, mas acho que a Fox será obrigada a dar uma folga super espaçada para o personagem aparecer em qualquer coisa relacionada aos X-Men de novo. O "divórcio" de imagens ainda é doloroso, mesmo para quem não é fã da franquia afinal.

Escolhi este filme como um programa em família e insisti bastante para vermos, só que não estava preparada para uma sanguinolência tão explícita e isso me constrangeu um pouquinho pelos meus pais lá na sala de cinema. Mas é, depois do choque do início, deu para todo mundo curtir, vibrar muito com a Laura - tinha uns "uuuh", "yessss" anônimos pelo cinema, haha - e até chorar no final. Ah, e se você não chorou no final, sinto dizer que você não tem coração, viu... 😭

2. Óculos novos


Um dos meus sonhos de consumo é meio estranho: anseio pelo dia em que farei uni duni tê para escolher com que óculos vou sair, dentre uma variedade enorme numa linda gaveta. Quem diria, considerando que eu era alguém que havia detestado a ideia de usar um ímã atraidor de bolas na cara durante a escola... Mas bem, enquanto isso não acontece - será que um dia vai? -, conquistaremos um modelo por vez, haha! 👊


Estou mega feliz com esta nova aquisição: um óculos de armação fininha e leve, com lentes grandes, yey! Acho que o fator decisivo para ter escolhido este modelo é que essas lentes circulares deixam a minha expressão muito mais amistosa do que o normal. Já ouvi tanto sobre terem hesitado falar comigo por eu ter "cara de brava", snif... Felizmente, assim não preciso mais falar que não mordo, porque agora - com o perdão do trocadilho - está "na cara", hehe. 🤓

3. Seven Nation Army, de Ben l'Oncle Soul


Eu não era nem sou fã de The White Stripes, mas se você viveu o ano de 2003 fora de uma caverna, deve ter ouvido esta música e seu ritmo inconfundível algumas boas e tantas vezes, né não?


Zappeando pelos canais internacionais, me deparei com essa joia preciosa que é Ben l'Oncle Soul se apresentando ao vivo num programa francês e, claro, ele estava cantando a sua versão dessa famigerada canção. Eu não sei vocês, mas como meu negócio está mais inclinado para o Soul, já abstraí da memória o original e adotei esta versão da música pra vida, haha!

Ah, essa versão tem clipe oficial e tudo caprichadinho, mas vai dizer que essa dancinha ao vivo não é muito mais contagiante? Sem falar que o solo de piano aí é sedutor demais, pelamor... 😍

4. Akai Ito no Shikkou Yuuyo, de Yoshio Akira


Este é mais um daqueles títulos fofos de yaoi que eu adoro ler e mostrar aqui nos Favoritos, mas devo dizer que fui fisgada logo no primeiro capítulo, com essa fofura que é o Hiro, o seme nesta nossa história! Ele é a mais perfeita espécime que já encontrei de personagem tipo "cão" - alegre, fiel, de amor incondicional e para quem não se pode negar nada de tão fofo - e eu AMO personagem assim, haha! 🐶

Arako Keiji é um universitário do terceiro ano que, desde criança, possui uma inusitada habilidade especial: conseguir enxergar o lendário akai ito, o laço vermelho que une almas destinadas umas às outras, amarrado aos seus dedos mínimos. Depois que a revelação de seu "poder" causou o divórcio entre seus pais, Keiji apenas se limita a observar as relações alheias fadadas ao sucesso ou ao fracasso.
Os laços têm seu momento certo para se juntar ao de outra pessoa e, por mais que tenha nutrido um amor platônico por uma de suas colegas da faculdade há dois anos, o laço de Keiji nunca havia se ligado ao de outrem. Certo dia, finalmente essa conexão ocorre, porém o choque não poderia ser maior ao ver que estava destinado a um rapaz que nunca tinha visto na vida.
Seu predestinado é Obata Hiroki, um calouro gentil e de boa aparência que logo conquista os membros do clube de Keiji, forçando um convívio nem um pouco desejado pelo veterano. Keiji tenta a todo custo evitar se envolver com o rapaz, mas as poucas demonstrações de sua natureza gentil logo conquistam Hiro, o qual está disposto a se aproximar do veterano e provar seu amor...

Por enquanto, apenas os dois primeiros capítulos foram traduzidos para o inglês, mas eu não fui boba e logo fui atrás da versão RAW deste mangá de volume único. Infelizmente, não posso passar por aqui o link do RAW, mas está disponível para todos os membros do fórum YaoiOtaku, tá bom? 😉

9.5.17

Favoritos do Mês: Março, 2017

Está aberta a temporada de overload de lançamentos BLCD - e de tirar o meu couro criativo para montar as ibagens das checklists, haha! Felizmente, além de ter tantas adaptações de títulos de uma vez só, tem muita história, se não boa, promissora, yey! 😍

Destaque do Mês


Bateu a indecisão na hora de escolher meu destaque do mês, mas chegamos a um vencedor por motivos de: estava esperando há um tempão para fazerem este anúncio. Com vocês, a triunfal volta da minha completa tara pelos trabalhos da Ogeretsu Tanaka-sensei - apresento-lhes o lindão Neon Sign Amber! 💙

Ogata Yuusuke (CV: Hino Satoshi) é um jovem bartender que está fazendo bico como segurança de boate, enquanto o bar onde trabalha está em reformas. Apesar de ser um rapaz bonito, suas feições não mudam muito, o que torna difícil entender o que ele realmente está pensando ou sentindo. Um dos clientes mais frequentes da boate, por sua vez, é Saya Masaki (CV: Nakajima Yoshiki), um jovem com um estilo meio gyaru - pele morena, cabelos claros - que é conhecido por sempre fechar cada noitada com uma garota diferente.

Numa manhã calorenta depois do expediente, Ogata se depara com Saya sendo despachado por uma garota na saída do motel e tenta ajudar o rapaz estirado na calçada, tudo para levar uma bela golfada sobre suas roupas. Com certeza, não foi uma das melhores formas de se conhecer alguém, mas foi assim que eles começaram a conversar. Depois de Ogata ajudá-lo a abrir o armário de pertences da boate, Saya se compromete a lhe fazer café da manhã todos os dias no pequeno restaurante de sua família, até cobrir a taxa do armário.

Sendo a primeira pessoa em muito tempo a conseguir entender suas expressões, Ogata começou a ficar intrigado com as feições expansivas e a natural sensualidade de Saya, não demorando muito para se apaixonar de vez pelo rapaz. Contudo, o fato de Ogata não conseguir avançar o sinal ao encarar que seu amado também é um homem faz com que lembranças dolorosas de Saya voltem à tona...


Referências


Seme | Ogata Yuusuke (CV: Hino Satoshi)
Noiz (DRAMAtical Murder), Sawamura Daichi (Haikyuu!!), Sai (Naruto Shippuden);

Uke | Saya Masaki (CV: Nakajima Yoshiki)
Yamashita Jiro (THE IDOLM@STER SideM), Aoi Yuki (DYNAMIC CHORD).

Confira também


1.5.17

BLCD Checklist: Maio, 2017

O Blog tem Instagram » @subindonolustre

© Subindo no Lustre. Design by Fearne.