Se você já viu as minhas wishlists aqui no blog, deve ter reparado que figures é a suma maioria do que eu listo. Essa paixonite aguda começou com os lançamentos dos produtos de Sailor Moon pelo aniversário de 20 anos da série e, desde então, não parou mais!

Hoje, também tenho uma tara por aqueles bonequinhos cabeçudos Funko, mas era muito difícil achar lojas brasileiras que vendessem esses produtos - eu falei "era", porque a oferta começou a crescer só neste ano.Mas eu ainda estava atrás de lojas físicas em Curitiba, porque o frete encarece muito no preço final, sabe? Foi então que encontrei a TiToys Action Figures!





Olha só tudo isso! 😱 Esta loja é a perdição para qualquer nerd, otaku ou mesmo para quem só bebe um pouquinho dessa água e quer colecionar alguma coisa do meio! Na primeira vez que fui, eu sinceramente não sabia para que lado olhar, mas, assim que localizei as figures, pirei por uns bons minutos na frente delas... Esta foi a segunda oportunidade, e adivinha o que, para meu desespero, chegou às prateleiras? Sailor Moon! Mas cadê o dinheiro nessas horas...? 😭




Olhando para trás, tcharam: uma prateleira generosa, cheia de caixinhas de Funko! 💙 Gostei da variedade de personagens que a loja oferece, desde alguns antigos e até raros - como Roger Rabbit, que está difícil de se encontrar por aí - a lançamentos, como as emoções de Divertida Mente, Daniel-san e Seu Miyagi de Karate Kid e os bruxos de Harry Potter. O bom mesmo é que os preços praticados estão na média daqueles das lojas online nacionais, mas sem ter de somar o frete à conta!✨



Mas não são apenas as crianças grandinhas como você e eu que têm diversão garantida: a TiToys também vende brinquedos infantis, jogos de tabuleiro, pelúcias, Lego, Barbie... Apesar disso, não sei porque, mas ainda senti uma pegada nerd na seleção dos produtos, hein? 😜 Pode ser só impressão minha, mas... Bem, veja as fotos abaixo e tire suas conclusões!



Esta foi apenas a minha segunda visita à loja, mas eu já namorava a fachada há algum tempo, bem antes de me interessar por figures ou Funko. Na verdade, a loja existe desde 2008 e me lembro bem de ver as indicações no Shopping Riviera, ao lado do Shopping Água Verde. Só que eu sempre passava para resolver coisas no shopping vizinho e, coincidência ou não, na companhia da minha mãe. Agora, imagina o desânimo dela, cogitando me fazer companhia para uma visita à loja? 😔


A TiToys está em novo endereço, mas não mudou muito de perímetro: agora, ela está no prédio comercial em frente à Academia Seven Heat, ainda na Av. República Argentina. Também é presença garantida no Shinobi Spirit, o principal (se não o único?) evento de anime atualmente em Curitiba.

Ah, e não esquente em entrar em contato com o pessoal da loja, pois eles são bem solícitos; inclusive, a loja mantém um grupo no Whatsapp em que publicam os lançamentos em primeira mão e dá para pedir pela reserva de algum produto, sem compromisso! Além disso, a TiToys também tem um cartão fidelidade com o qual, depois de juntar 10 selos, dá para ganhar desconto na próxima compra.

TiToys Action Figures Curitiba
Av. República Argentina, nº 1812, loja 03 - Água Verde
Tel. e Whats: (41) 9-9814-4512
Site oficial | Facebook

10.10.15

TiToys Action Figures


Nem entramos, mas já somos recepcionados com muitas flores de lavanda 💙

Depois de uma sequência de dias secos e calorentos em Curitiba, os céus resolveram dar uma pausa no castigo e nos presentear com muitas nuvens, umidade e temperatura agradável na cidade! 💙 Foi nesse clima que, muito bem acompanhada pela família de uma amiga querida, visitei o Chiffon Cake, um café charmoso localizado no bairro Hugo Lange.

O Chiffon Café é um café super aconchegante que nasceu de experiências gastronômicas acumuladas no Japão, trazidas para Curitiba em um espaço novo, onde seus clientes podem apreciar a mistura deliciosa de ingredientes de altíssima qualidade com o modo de preparo único de seus doces e salgados gourmet.

Com o slogan "o bolo mais fofo da cidade", o café vende os bolos conhecidos como chiffon, também chamados "bolos nuvem", devido à sua textura leve e fofa. O preparo exige uma série de cuidados por se tratar de uma massa muito delicada; outro fato curioso é a necessidade de deixá-lo virado de cabeça para baixo na hora de esfriar. Eu pesquisei para entender o motivo desse ritual e tudo indica que é para o bolo não murchar. Embora pareça um motivo simples, a loja mostra seus bolos virados com muito orgulho na bancada mesmo, e ali ficam por horas! Segundo o que disseram à irmã da minha amiga, quanto mais deixá-los de ponta-cabeça, mais fofos os bolos ficam.

A primeira reação ao ver a bancada com certeza é "WTF?!"

Muito bem, amiguinhos! Vamos à primeira regra sobre o que fazer ao conhecer um café: leve um extra de dinheiro. A Chiffon Cake tem preços justos, então não é esse o problema, mas sim eu não prever que poderia querer provar várias coisas... Inclusive, adivinha quem não provou o tal bolo chiffon por conta disso? ¯\_(ツ)_/¯

E olha, não é pouco vacilo: tinha bolo de banoffi, de morango, de doce de leite, de chocolate... O pessoal falou que a massa era fofinha, super suave e o recheio tinha uma doçura no ponto! Fiquei só chupando o dedo e babando, aiai...



Devia ter levado um desses amiguinhos comigo, snif... 😢

イチゴたっぷり!🍓

Bom, apesar dos pesares, tentei aproveitar ao máximo a visita, né? Mas claro que os deslizes não pararam por aí: eu sabia que iria num café e, ainda assim, almocei tarde! 😔 Resultado, não tive apetite para degustar a coxinha de batata salsa, tão recomendada pela irmã da minha amiga. Provei um pouquinho e estava delicioso mesmo, mas... Cadê a fome, monstro?!

Coxinha de batata salsa, recheada com frango + molhinhos

Já com meu atestado de trouxa colado na testa, ainda assim, tentei aproveitar o que podia: pedi um strudel de maçã de-ve-no (há quanto tempo não comia strudel, meodeos?) e uma gostosura de chocolate quente com licor de laranja!

Chocolate quente com licor de laranja, uma delícia naquele friozinho 💙

A gaiolinha! As frutinhas! O sorvetinho! O strudel! OMG 😍

A Chiffon Cake também vende potes com os molhinhos - pimenta com palmito, alcaparra e o molho vinagrete - que são servidos junto com os salgados #fikdik.



O ambiente da loja é muito aconchegante e as cadeiras até me lembraram de casas de boneca, todas branquinhas e de madeira. Os pratos são decorados com muita delicadeza e capricho, além do atendimento ser ótimo. Dependendo da lotação da casa - estava cheia quando fomos -, seus pedidos podem demorar um pouquinho a chegar, mas relaxe, pois toda a espera vale muito a pena. 💙

Chiffon Cake
Rua Jaime Balão, nº 138 - Hugo Lange
Tel: 3362-7715
Site oficial | Facebook | TripAdvisor

29.9.15

Chiffon Cake, bolos fofinhos em Curitiba


Eigyou Nika!
Lançamento: 15.09.2015
Elenco: Shingaki Tarusuke×Terashima Takuma
Download: doramabaka2.co.vu

Resumo


"Eigyou nika" significa "segunda divisão de vendas" e é onde justamente Toujou Seiji (CV: Shingaki Tarusuke) e Sakisaka Ayumu (CV: Terashima Takuma) trabalham juntos, porém sob circunstâncias um pouco diferentes. Toujou é um funcionário que se destaca em vários sentidos: além de ser atraente, ainda tem um grande carisma e sempre apresenta ótimos resultados para a empresa, sendo descaradamente o favorito do chefe do setor. Sakisaka, por sua vez, é um rapaz bem mediano comparado ao colega, mas ambos se dão muito bem.

Esse entrosamento é de longa data, tanto que Toujou está praticamente morando no apartamento de Sakisaka, já que é este quem toma conta do outro no final dos frequentes nomikai. Cuidar de alguém bêbado quase todas as noites parece uma tarefa ingrata, mas, para Sakisaka, é mais do que uma boa desculpa para ficar mais tempo com Toujou, por quem está apaixonado.

A essa altura, Sakisaka já estava conformado em nutrir um amor platônico, pois, além de Toujou não ser homossexual, não via algo que os dois tivessem em comum, senão o próprio trabalho. Todavia,  Toujou tem agido de forma estranha ultimamente, fazendo questão de tocar e abraçar Sakisaka sempre que tem a oportunidade, o que o deixa confuso sobre as suas intenções...

Minha Opinião


Alguns meses antes de anunciarem o lançamento do Drama CD foi quando conheci "Eigyou Nika!", enquanto ajudava uma amiga a encontrar o mangá. Além da arte impecável da Kanai Kei, a história em si é muito fofa e, na minha humilde opinião, bem costuradinha.

Eu confesso que fico meio angustiada vendo personagens como o Sakisaka, porque, durante a história, fica bem palpável a sua sensação de inferioridade em relação ao Toujou; inclusive, é por esse motivo que ele fica confuso com as investidas do seu crush - do tipo, "por que alguém tão brilhante como ele ficaria comigo?"

Quanto ao Toujou, eu gosto muito do "gap" entre a sua imagem de profissional competente e o jeitinho todo mimado e grudento que ele só revela para o Sakisaka. Na verdade, ele é um personagem até mais inusitado do que eu consegui descrever aqui e vale a pena ver a interpretação do dublador no Drama CD, já que ele conseguiu deixar isso bem evidente e engraçado!

Falando no Drama CD, a adaptação foi super fiel ao mangá, exceto pela parte do sexo entre os protagonistas. Mas calma, a mudança veio para melhorar, já que eles adicionaram preliminares e otras cositas (picantes) mas, tudo com o aval da própria autora!

Referências


Seme | Toujou Seiji (CV: Shingaki Tarusuke)
Hasebe Heshikiri (Touken Ranbu: Hanamaru), Kite Eishiro (Prince of Tennis), Togusa (Ghost in the Shell: Arise);

Uke | Sakisaka Ayumu (CV: Terashima Takuma)
Ittoki Otoya (Uta no Prince-sama), Shima Kaidou (Super Lovers), Kisaragi Shintaro (Mekakucity Actors).

Confira também


15.9.15

BLCD: Eigyou Nika!


"Haikyuu!!" me conquistou já no primeiro episódio, mas demorei a dar uma chance para o anime. Eu já estava um pouquinho calejada de gostar de anime de esportes depois de "Prince of Tennis", cheio de jogadas bizarras e guerra de egos, então não sabia se aguentaria algo assim novamente.

Felizmente, minha admiração por vôlei falou mais alto e, enfim, posso dizer: que bom que dei essa chance para "Haikyuu!!" A história pode ser simples, mas há um capricho no desenvolvimento e os personagens são super carismáticos, cada qual do seu jeito. Quanto àqueles pontos que me preocupavam, as jogadas ainda são um pouco dramáticas, mas não estão fora da realidade do esporte; já a disputa de egos existe, mas o que se enfatiza é a busca pessoal e conjunta pela melhoria das técnicas em prol da vitória. Fora isso, o autor não deixa passar nenhuma zoeira, mesmo entre aqueles times mais fodas do campeonato, o que quebra algumas tensões e é garantia de gargalhada em todo episódio!


Mas estamos falando de animes de esporte, um dos terrenos mais férteis para a conspiração fujoshi: não, "Haikyuu!!" não escapou e seria realmente difícil ficar indiferente diante da relação dos dois personagens principais, o levantador Kageyama Tobio e o "pequeno gigante" Hinata Shouyou - e, mais que depressa, tratamos de achar um nome para o ship: "KageHina".

Hinata é o meu bebê, meu raio de sol - essas são as variáveis que uso para me referir a ele nos meus momentos de emoção enquanto assisto ao anime. Confesso que fico surpresa com isso, porque nunca tive uma reação tão "maternal" com um personagem antes, mas... Ele é um fofo! É contagiante a sua energia e alegria, tenho empatia por sua ingenuidade e seu esforço, mas ele me assusta um pouco quando está mega focado. Em compensação, eu gosto de rir da cara do Kageyama! Apesar de ser todo marrento, essa criatura ainda está aprendendo a confiar, observar e lidar com as pessoas, já que apenas sabia ser um lobo solitário e não é disso que Karasuno precisa. Galgando na vida, cada ato o deixa desconcertado e isso é um deleite para mim.


Acima de tudo, Kageyama só começou a se dar essa oportunidade depois que certa pessoinha entrou na sua vida como amante de vôlei e parceiro com o maior aproveitamento, formando a temida dupla dinâmica do ataque absurdamente rápido e a faísca para o canon que as fujoshi precisavam. Inclusive, foi a partir disso que elas escolheram a data em homenagem a esse casal: 9/10 - ah, mas essa é a ordem japonesa (mês-dia), logo o certo é 10 de setembro. E por que esses números? Kageyama é o número 9 no time, enquanto Hinata é o 10; além disso, essa ordem é proposital, pois representa a preferência majoritária de que o levantador seja o seme e meu bebê, o uke da relação.

Pois bem! Selecionei alguns dos doujinshi KageHina que mais gosto para comemorar essa data com leituras muito dignas. Espero que goste!

"Kokoro Control" - Parte 1 e Parte 2
Classificação: PG e R-15

Esse é meu círculo favorito, quando se trata de KageHina! Todas as estórias, mesmo as mais simples, são muito bem elaboradas e o traço se harmoniza muito com aquele original do anime. ♥
Em "Kokoro Control", temos Kageyama descobrindo seus sentimentos por Hinata subitamente e temendo por duas coisas: a ruptura de sua amizade e o que seus hormônios impulsos podem levá-lo a fazer com seu parceiro. Ele tenta se afastar de Hinata, mas o fato de mal poder olhar para o seu rosto afeta seu desempenho em quadra.
Preocupado com a situação, Hinata ignora os avisos de Kageyama e tenta acompanhá-lo na volta para casa, a fim de saber o que poderia fazer para ajudá-lo. Kageyama, então, leva-o para um parque e pede para que Hinata não lhe pergunte o porquê de tocá-lo, abraçá-lo e beijá-lo, em troca de se comprometer a não fazer nada que não queira. Vendo que o episódio da noite anterior refletiu-se num melhor desempenho de Kageyama no treino do dia seguinte, Hinata propõe que eles continuem com as sessões na volta para casa. O problema é que essas "provinhas" acabam surtindo efeito contrário e só aumentaram a libido do rapaz ainda mais.

Classificação: R-18

Esse é o meu título favorito deste círculo, que me parece ser mais voltado a fazer lemon, então as propostas não são tão elaboradas como as do Bubunhanten. Isso, porém, não prejudica muito a coesão das estórias, colocando o casal tanto em momentos pós-treino, ainda em horário de aula ou no retorno para casa, quanto depois da graduação ou mesmo na vida profissional!
No caso de"Mizunure Chuui!", Kageyama e Hinata ficaram bastante tempo juntos depois das atividades normais do clube para treinar uma nova técnica, mas acabaram pegando uma baita chuva na hora de voltar para casa. Eles param num parque e Hinata começa a pensar em como chegar em casa sem se molhar muito. Kageyama, por sua vez, fica chateado pela ansiedade do parceiro, quando o que mais queria era qualquer desculpa para continuar na sua companhia. Sem contar o motivo, adivinha como Kageyama descarrega seu aborrecimento em Hinata e ainda fica mais tempo com ele? Aham. Mas eles já são um casal, é consensual e é fofo. ♥

"Sono iro no kakera wo hirotte" - Parte 1 e Parte 2
Círculo: Bubunhanten (Kazukirai)
Classificação: PG e R-18

Volto ao círculo Bubunhanten, mas decidi colocar esse título por último porque tem uma estória um pouquinho pesada, comparada com as outras duas. Nesta proposta, Hinata flagra Kageyama e "Daiou-sama" Oikawa se beijando. Isso o deixa surpreso, mas não abala sua relação com Kageyama; Hinata apenas fica intrigado para saber qual era a relação dos dois.
No dia seguinte, Oikawa vai para a escola Karasuno e procura por Hinata nas salas de aula; quando ele tenta abordá-lo, Kageyama intervém e pede para Hinata avisar o clube de que se atrasaria para o treino, deixando os corredores na companhia de Oikawa. Agora sim a concentração de Hinata estava abalada, preocupado com o que eles estavam fazendo para Kageyama ter se atrasado. Foi no retorno mais cedo para casa que Kageyama lhe revela: foi Oikawa quem o "iniciou" e os dois tinham transado pouco antes do treino. Tudo começou porque tinha esperança de que seu senpai o ensinaria alguma técnica de vôlei, mas isso não aconteceu. Kageyama fala que já queria parar com os encontros, o que Hinata não entende, pois ele topou esse último convite na escola.
Apenas no outro dia que Hinata soube do motivo, vindo do próprio Oikawa: Kageyama estava tentando o proteger, pois tinha ameaçado pôr as mãos em Hinata no seu lugar. Sabendo disso, Hinata se desespera e se oferece numa bandeja de prata: "o que eu tenho de fazer para você desistir do Kageyama?"

10.9.15

10/9: KageHina Day, 2015

Hoje é um dia feliz, porque, depois de muito tempo, vou responder a uma tag! A tag se chama "Eu tô blogando, e você?" e a proposta é falar mais a respeito do próprio blog e a atividade de blogar em si para o autor.

Quem me marcou foi a fofa da Dani, do blog Dani's Wonderbox, para o projeto BEDA, promovido pelo grupo Rotaroots. Tomo a liberdade, então, de marcar a Tathy-chan, do blog Tathy no Me, e a Kiyomi-chan, do Empório Kiyomi! Recomendo muito a visita a cada um deles 💙

Foto: Annie Spratt, Pexels

Qual foi seu primeiro post?


Eu trouxe vários posts do blog antigo para cá, então vou falar sobre o primeiro post de lá, ok? Foi um post de 2010, mostrando um desses testes bobos, mas que a gente sempre gosta de fazer na Internet.
No caso, é um teste japonês em que você digita o seu nome e ele mostra quais são os seus principais pensamentos - arashians de raiz conhecem bem esse teste. 😜

Lembro de ter feito um pequeno post em japonês, porque também estava impressionada com o formato simples dos blogs japoneses. Só que eu não tinha - e ainda não tenho - tanta habilidade com o idioma, então o nível de concordância devia estar カペンガです. Ah, mas o que saiu no teste para mim, né? Olha só:


幻: Ilusão;
友: Amizade;
休: Descanso;
E, por fim, "H" ("ecchi") que é uma gíria para hentai, perversão... Heh. ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Quanto tempo tem o seu blog?


O Subindo no Lustre é um pequeno mancebo de poucos meses, mas o blog antigo tinha mais de 6 anos. Eu tive uns hiatus de anos nesse meio tempo e também só postava quando me dava na telha, mas os dois últimos anos dele foram bem bacanas para trabalhar!

O que te motivou a criar o blog?


O blog antigo não nasceu para ser um blog, na verdade... Eu tinha criado uma conta naquela plataforma só para ter acesso a conteúdos que rodavam pelos fandoms internacionais. Comecei a usar eventualmente, pois as comunidades cobravam que os usuários que queriam se inscrever fossem ativos em suas contas.

Com o surgimento do Facebook, essa e outras plataformas começaram a ficar obsoletas, mas, ainda assim, gostei da ideia de ter um blog para falar e surtar sobre o que eu gostava. Depois, acabei mudando para o Blogger e criei o Subindo no Lustre. O propósito continua o mesmo, mas a identidade e a estética do blog têm muito mais a ver com o meu "eu" de agora. 💙

Qual é o segmento do blog?


Eu acho que é lifestyle. Mas o meu lifestyle. Ou seja, é esquisito, huahuahua! 😂

Blogar pra você é...


Uma diversão. E um ato de liberdade também. Aqui, posso escrever abertamente sobre tudo com que me preocupo, ou o que gosto e não gosto, sem ter de me preocupar muito e com as tantas firulas que eu achar melhor.

Qual tipo de post te dá mais prazer em escrever?


As resenhas... Para escrevê-las, eu preciso pesquisar e conhecer um pouco mais, além de pensar numa opinião e justificá-la. Esse é um exercício muito bom e que acaba me fazendo criar um elo especial com o tema. Por enquanto, a maioria das resenhas que escrevi para o blog é sobre Drama CDs, mas acho que poderia ser qualquer outro tópico e eu ficaria feliz em escrever - e é o que pretendo fazer.

O que o blog te trouxe de bom?


Acho que foi a oportunidade de expor minhas opiniões e preferências, mesmo sendo, na maioria das vezes, sobre coisas fúteis... O mundo exige seriedade e ainda tento ser responsável ao escrever, mas o blog acaba virando um refúgio particular para pensar em minuciosidades. Podem não ser posts para gerar dinheiro, ou que te ajudem a ficar mais bonito, nem mesmo podem melhorar sua qualidade de vida, mas escrevê-los me deixa feliz. ¯\_(ツ)_/¯

Se pudesse modificar uma única coisa em seu blog, o que seria?


Acho que nunca estamos completamente satisfeitos com o nosso blog; pode ficar perfeito por um tempo, mas sempre estamos mudando e buscando novas coisas para nos fazer bem naquele momento. Atualmente, mudaria a imagem do cabeçalho, porque ainda não fiquei satisfeita com a identidade visual do blog... Quem sabe algo com a minha letra, né?

O que tira a sua paciência no blog?


Certeza que é tentar entender os tais códigos xml/html! Faço as modificações meio que às cegas, mas, quando elas não fazem efeito algum no layout e eu não sei o porquê, me dá uma raiva... 💢

Tem algum projeto a curto prazo para o seu blog?


Acho que, além do cabeçalho, seria escrever as resenhas sobre outros temas diferentes de Drama CD e jogar alguns textos de opinião. No mais, talvez investir no Pinterest...

12.8.15

TAG | Eu tô blogando, e você?


Danshi koukousei, hajimete no Vol. 2 ~Kouhai ga kawaii sugite ijimetai~
Lançamento: 24.07.2015
Elenco: Tachibana Shinnosuke×Tamaru Atsushi
Download: doramabaka2.co.vu

Resumo


Shima Kawai (CV: Tamaru Atsushi) é um aluno do primeiro ano do colegial que faz parte do clube de atletismo da escola; um pouco introvertido e tímido, o jovem leva as coisas muito a sério, embora não se destaque tanto assim nos estudos. O que talvez ninguém saiba é que ele entrou naquele clube por Futami Ryusei (CV: Tachibana Shinnosuke), um de seus veteranos. Shima ficou impressionado com Futami durante uma corrida a que assistiu; ele não teve uma performance excepcional, mas o que chamou sua atenção foi a determinação que pôde sentir em seu olhar intenso e concentrado. O rapaz sempre observava seu veterano durante as atividades do clube, mas acabou percebendo que Futami não era nenhum príncipe montado num cavalo branco: pelo contrário, estava mais para flor que não se cheira, pois, apesar de ser popular pela sua aparência, é egocêntrico e tem uma veia sádica bastante pungente. Ainda assim, contrariando toda a lógica, Shima se apaixonou por Futami-senpai.

Num final de tarde normal após as atividades, Futami entra no vestiário para se arrumar e ir para casa. Eis que, naquele ambiente escuro, ele encontra um Shima sentado, escondendo algo entre as pernas e bastante assustado com o flagra. Não demorou muito para o veterano entender o que estava acontecendo; após trancar a porta, ele começa a provocar o garoto, que estava segurando a sua toalha usada no treino para se masturbar. Na verdade, apenas a visão amedrontada de alguém tão equilibrado e indiferente como Shima já foi o suficiente para despertar uma libido incrível em Futami, a ponto de dizer: você é tão fofo que tenho vontade de te atormentar.

ATENÇÃO | DISCLAIMER (R-18)

Contém cenas e sons explícitos! | It contains explicit scenes and sounds!
Veja em local reservado e com fones de ouvido | Watch it alone with earphones 😌


Minha opinião


Este é o segundo volume da série Danshi koukousei, hajimete no, iniciada em maio deste ano, cujo conceito é que o ouvinte testemunhe a primeira vez de um casal de colegiais com todos os detalhes possíveis, o que significa que não tem música de fundo, pulação de parte, pensamentos dos personagens nem os brochantes fade-outs (yes! 😍).

Neste volume, Shima e Futami acabam tendo uma primeira relação bastante ousada, já que estão no vestiário do clube, de pé e apoiados nos armários! Futami é um típico DoS e parece ter encontrado seu parceiro perfeito em Shima, uma vez que não se trata apenas de um admirador, mas também de alguém que acaba tendo uma inclinação masoquista - quero dizer, não basta gostar de uma pessoa cuja personalidade é desagradável, ainda parece sentir mais prazer com um pouquinho de dor. Para a alegria da nação, contudo, Futami não é tão sádico assim e teve todo o cuidado e carinho em preparar Shima para a penetração.

Diferente do primeiro volume, este teve não uma, mas DUAS faixas total e completamente dedicadas a retratar essa primeira vez (insira surtos aqui). E tem mais: a edição adquirida na loja Animate (アニメイト) ainda vem com um CD extra cuja faixa mostra a SEGUNDA vez do casal no quarto do Futami. Eu não gosto muito de S&M, então essa parte me agradou mais porque o Shima já estava mais tranquilo com seus sentimentos, não estava assustado e ficou super excitado com o ambiente, pois se sentia abraçado pelo "cheiro" do Futami (OMG 😱), que se manifestava por toda a casa. Além disso, o veterano assume que também gosta de Shima e o quer tanto quanto o outro quer - nas suas palavras, me deseje mais e mais, Shima. 💙

Agora, a dublagem: estava com uma saudade de ouvir o Tachibana-san como seme... Ele realmente consegue passar esse tom sádico, cínico e ainda assim despretensioso do Futami com muita naturalidade, então ficou perfeitinho. Tamaru-san, por sua vez, faz parte de uma nova leva de seiyuus que está se destacando neste ano, então dá para arriscar dizer que esta é a sua estreia como protagonista de um BL Drama CD. Apesar disso, ele conseguiu a minha atenção por ter tido um desempenho bem melhor do que muitas estreias que acompanhei neste e no ano passado. De verdade, estou torcendo para que ele tope novas oportunidades em breve! 💙

Referências


Seme | Futami Ryusei (CV: Tachibana Shinnosuke)
Tomoe (Kamisama Hajimemashita), Yoshino Chiaki (Sekai-ichi Hatsukoi), Naoki (Tight-rope OVA);

Uke | Shima Kawai (CV: Tamaru Atsushi)
Mochizou Ouji (Tamako Market), Hachimine Takuma (Meganebu), Kunimi Akira (Haikyuu!!).

Confira também


24.7.15

BLCD: Danshi koukousei, hajimete no Vol. 2


Ai no mitsu ni yoe!
Lançamento: 10.07.2015 (errei na imagem, sorry...)
Elenco: Ono Yuuki×Murase Ayumu
Download: doramabaka2.co.vu

Resumo


Num mundo em que as pessoas têm o DNA somado àqueles de diferentes espécies de insetos, a sociedade se divide entre a classe alta, formada pelos carnívoros, e a classe baixa, composta pelos herbívoros.

Kuroki Rikyu (CV: Murase Ayumu) é uma borboleta da espécie kuroshijimi (Niphanda fusca) e está entre aqueles da classe baixa. Pessoas dessa espécie costumam ter a saúde frágil e cabe tradicionalmente à família das formigas negras o dever de cuidá-las até atingirem seus dezesseis anos de idade. Filho da rainha, Ariga Ayato (CV: Ono Yuuki) sempre foi alguém muito querido para Rikyu, mas eles já não se falam há dois anos, quando Ayato saiu da colônia para cursar a escola e cumprir um dos requisitos para assumir o trono.

Após completar seus dezesseis anos, a rainha ordena que Rikyu vá à escola e procure Ayato, pois estaria doente e ele era o único capaz de ajudá-lo. Na verdade, seu filho guardava um grande segredo que poderia prejudicar toda a sucessão; para que esse segredo não fosse revelado, a rainha mandou Rikyu como um "alívio sexual" e, desse modo, conter os hormônios em ebulição de Ayato. Ainda havia outro problema: a escola é frequentada apenas por pessoas da classe alta, o que mais parece um antro de predadores para um pobre kuroshijimi.

Embora estivesse disposto a proteger Rikyu dentro da escola, Ayato o trata com muita frieza. Com os hormônios descontrolados, o príncipe das formigas desconta tudo no amigo de infância, afirmando que havia sido traído por ele dois anos atrás, o que deixa Rikyu muito confuso. Eventos desagradáveis se desencadeiam depois que Ayato estupra o kuroshijimi e desperta seus feromônios no antro de predadores; não demora muito e o pior acontece: Rikyu é estuprado por um dos alunos e desmaia, intoxicado pelos supressores de feromônios.

Sentindo-se culpado por tudo o que aconteceu com Rikyu, Ayato se devota totalmente aos seus cuidados por vários dias. Apenas não contava com o que o kuroshijimi lhe falaria, quando finalmente despertasse: "Quem é você?"


Minha opinião


A princípio, pensei que os níveis de fujoshismo no sangue da autora estavam nas alturas - fantasiar com insetos, sério? -, mas, no final das contas, achei bem bacana o trabalho com antropoformismo e regras sociais.

Ainda, as características peculiares dos personagens são baseadas em fatos da natureza: fiz uma pesquisada básica aqui e a Niphanda fusca é uma borboleta bem vida loka, na verdade! Ela entra no formigueiro das formigas negras e deposita os seus ovos lá mesmo; usando de substâncias químicas com odores fortes, as formigas acabam confundindo esses ovos e cuidando deles como se fossem os seus. As lagartinhas também não deixam por menos: excretando uma espécie de melada, elas viciam as formigas a tal ponto que as fazem cuidar mais delas do que de suas próprias crias. A "melhor" parte? Uma vez que viram borboletas, elas alçam voo e deixam para trás sua família adotiva, sem cerimônias. Ô, ingratidão, hein? São aquelas relações desamôrnicas da sua aula de Biologia, amigo!

Bom, mas voltando à história, eu não gosto do uso "gratuito" de estupro nas histórias, ainda mais se colocado em excesso; por essa razão, a história perde uns belos pontinhos comigo. Contudo, me sinto obrigada a relevar um pouco nesse caso em particular por parece compreensível - não aceitável, veja bem - dentro deste contexto: segundo a sinopse dessa série, todas as pessoas nesse mundo têm um "quê" selvagem. Assim sendo, imagino que elementos mais "humanos", como ética, moral e bons costumes, podem ficar de lado em relação ao instinto - e aí se inclui o prazer. E nem questionei a analogia entre "comer" e "ser comido", "carnívoros" e "herbívoros"...

Referências


Seme | Ariga Ayato (CV: Ono Yuki)
Chikage Rokujo (Durarara!×2 Shou), Kuroda (Hybrid Child), Kagami Taiga (Kuroko no Basket);

Uke | Kuroki Rikyu (CV: Murase Ayumu)
Hinata Shouyou (Haikyuu!!), Allen Walker (D. Gray-Man Hallow), Sasaki Ikuyoshi (Super Lovers).

Confira também


10.7.15

BLCD: Ai no mitsu ni yoe!

AI MEU CORASSAUM! Não estou passando bem, porque fiquei sabendo que algumas lojas online BR pretendem vender os Petit Chara de "Sailor Moon Crystal"! Esses dias de economia para comprar a figure do Baymax foram para a vala; é Petit Chara na cabeça e no coração, desde criancinha!

Enquanto estava fazendo as pesquisas para este Vixelist, encontrei e me encantei por um blog super caprichado de uma entusiasta fotógrafa japonesa de brinquedos. Então, pensei: e se eu tirasse fotos e fizesse resenhas desses meus filhotes que começarem a chegar? Hm. Aguardem cenas dos próximos capítulos, hehe!


1. Sailor Star Healer, Sailor Star Fighter e Sailor Star Maker
Mega House: coleção "Petit Chara Sailor Moon Sailor Stars" (セーラースターズ)

2. Muttley
FUNKO POP! VINYL: coleção "Hanna-Barbera - Wacky Races" (nº 39)

3. Dick Dastardly | Dick Vigarista
FUNKO POP! VINYL: coleção "Hanna-Barbera - Wacky Races" (nº 38)

4. Cookie Monster | Come-Come
FUNKO POP! VINYL: coleção "Sesame Street" (nº 02)

5. Kinomoto Sakura ("Tobira wo Akete" ver.)
S.H.Figuarts: coleção "Card Captor Sakura"

6. Hinata Shouyou, Tanaka Ryuunosuke e Kageyama Tobio
 Banpresto: coleção Chibi Kyun Chara "Haikyuu! Karasuno Volley-bu kyuukeichu!!" (烏野バレー部 休憩中!!)

7. Hinata Shouyou e Kageyama Tobio
Banpresto: coleção Chibi Kyun Chara "Haikyuu! Gekochuu Karasuno" (ゲコーチュー 烏野)

2.7.15

Vixelist: Figures ④


Danshi koukousei, hajimete no Vol. 1 ~Osananajimi dokusenyoku~
Lançamento: 29.05.2015
Satou Takuya×Suzuki Yuto
Download: doramabaka2.co.vu

Resumo


Yuuta (CV: Suzuki Yuto) e Hazuki (CV: Satou Takuya) são amigos e, desde que se conhecem por gente, estiveram sempre juntos: além de terem a mesma idade, moram no mesmo prédio, estudam na mesma escola e frequentam o mesmo clube. Contudo, as coisas começam a mudar quando a dupla entra no colegial: Hazuki é popular com as garotas e não demorou nada para virar o ace do clube de basquete, com seus invejáveis 1,84m de altura; por outro lado, Yuuta esforça-se para ser reconhecido pelos veteranos do clube, mas, com pouco mais de 1,60m, ainda esquenta o banco de reserva.

Com essa proposta, já entramos na história no meio de uma discussão dos dois na volta da escola: Yuuta topou representar seu clube numa corrida de revezamento, mas ele teria de vestir roupas femininas para participar, o que deixou Hazuki mega bolado. Isso, contudo, nem preocupava o próprio interessado, que estava mais do que feliz pois os dois seriam os únicos alunos do primeiro ano a correrem - ou seja, enfim Yuuta estava no mesmo nível de seu amigo. Hazuki até entende o ponto, mas explica que o motivo da sua preocupação era que Yuuta poderia ser visto com "outros olhos" pelos demais colegas. Percebendo que o garoto ainda não tinha sacado a ideia, Hazuki rouba seu primeiro beijo e declara seus sentimentos assim, de sopetão!

Já à espera de ser rechaçado, Hazuki deixou claro que seu "gostar" não era outro senão aquele em que desejava o corpo e o coração de Yuuta. Só que, para a surpresa de ambos, o garoto não se sentiu enojado nem nada ao saber disso. Aliás, foi apenas assim que Yuuta percebeu os sentimentos correspondidos, já que sua maior aflição era não conseguir mais acompanhar o amigo e acabar o perdendo, seja para o esporte ou para uma garota. E assim, felizes com a novidade, não perdem tempo e vão confirmar seu amor... 💙

ATENÇÃO | DISCLAIMER (R-18)

Contém cenas e sons explícitos! | It contains explicit scenes and sounds!
Veja em local reservado e com fones de ouvido | Watch it alone with earphones 😌 


Minha opinião


A série "Danshi koukousei, hajimete no" tem um nome longo, mas significa "A primeira vez de garotos colegiais". Sem mistérios, essa é a proposta de fato, mas o que a torna diferentona é fazer do ouvinte alguém que está espiando tudo de perto e nos mínimos detalhes - ou seja, olá moans e efeitos sonoros, e tchau BGM de fundo, pulação de parte e fade-outs brochantes. Para isso, eles apresentam algum elemento que serve como testemunha: pode ser um bichinho de pelúcia na cama, uma lapiseira fofinha no bolso, um chaveiro na mala... Enfim, dá para ver o que somos em cada volume pelo desenho da capa.

Até agora, eu só tinha visto esse tipo de coisa numas séries baseadas em BL games ou originais meio underground, como "Oshioki Salesman", "Idol Harassment" e "Ore wa konya mo omae wo mederu". Os dois primeiros têm uns conceitos meio pesados, com estupro, punição, humilhação... Então, não fazem o meu tipo (e até me arrependo de ter ouvido alguns volumes). A proposta do terceiro é meio viajada - os "espíritos" de algumas armas aparecem para um cara super apaixonado por elas -, mas era a que tinha me agradado mais. Triste mesmo é que todos esses são cansativos de acompanhar, porque tem muitas falas durante o ato e me parece que cada seiyuu gravou a sua parte separadamente, então o encaixe das falas fica forçado e quebra o clima demais. Mas eis que chega "Danshi koukousei" para chutar bundas e dizer yes, we can: nós podemos fazer um BLCD bom com tudo que vocês têm direito! Amém, irmãos!

Eu devo dizer que este primeiro volume ficou um amorzinho, mas sou um pouco suspeita para falar, pois o casal me lembrou MUITO KageHina e esse é um dos ships que está difícil de se largar o osso, hehe. A escolha do elenco ficou ótima também: Satou-san mexe com a minha sanidade de novo e a voz dele cai como uma luva naquele tipo de seme que é super apaixonado pelo uke, mas não resiste à vontade de provocá-lo um pouquinho. Quanto ao Suzuki-san, já dá para ver que ele melhorou muito ganhando experiência nos BLCDs; o resultado está aí, um uke muito fofo e sensível como o Yuuta.

Bom, agora só nos resta zelar - bem de perto ( ͡° ͜ʖ ͡°) - pelo final feliz desse lindo casal, e esperar pelo próximo volume, que olha... Promete. 💙

Referências


Seme | Hazuki (CV: Satou Takuya)
Kai Toshiki (Cardfight!! Vanguard), Shiba Natsuo (Super Lovers), Kanda Yuu  (D.Gray-man Hallow);

Uke | Yuuta (CV: Suzuki Yuto)
Ousaki Kou (Shonen Hollywood), Ono Hiroshi (Ace of Diamond), Watanuki Sakuya (Servamp).

Confira também


Site oficial | Resenha do blog: Danshi koukousei, hajimete no Vol. 2

29.5.15

BLCD: Danshi koukousei, hajimete no Vol. 1


TEN COUNT Vol. 2
Lançamento: 29.05.2014
Elenco: Maeno Tomoaki×Tachibana Shinnosuke

Resumo


O segundo volume começa com Mikami, colega de trabalho de Shirotani (CV: Tachibana Shinnosuke), encontrando Kurose (CV: Maeno Tomoaki) para lhe pedir ajuda, já que o secretário não aparece há dias no trabalho, nem tem mantido contato. Isso ocorreu depois que o terapeuta recomendou que Shirotani continuasse cumprindo as metas que havia listado para superar a misofobia com outras pessoas. Recluso em casa, Shirotani está deprimido, imaginando que, para ter feito tal proposta, Kurose estava mesmo é cansado dele; nesse sentido, é doloroso para o secretário cogitar a possibilidade de não poder mais encontrá-lo.

Eventualmente, eles se reencontram e Kurose revela estar apaixonado por Shirotani, prometendo que se dedicaria ao seu tratamento e também para conquistá-lo. Alguns dias depois, Shirotani vai à clínica de Kurose e é lá que ocorre a sua primeira investida "agressiva", quando temos a emblemática cena das mãos feridas do secretário sendo traçadas pela língua quente do terapeuta.

Embora transtornado e aborrecido com o episódio, Shirotani aceita o convite de Kurose para jantarem juntos e fazerem as pazes, porém o terapeuta não parece estar arrependido do que fez: Kurose não se aguenta e arrasta Shirotani até seu apartamento quando este declara estar confuso com seus sentimentos - por mais que saiba que poderia voltar à sua vida antiga se evitasse encontrá-lo, ele não suporta a ideia de não poder estar junto de Kurose.

Minha Opinião


Pega o café e senta aí porque lá vem textão, colega! ☕

Takarai Rihito é uma das mangaká de yaoi que mais admiro e gosto, seja pela arte ou pelo enredo bem costuradinho, mas eu preciso admitir... TEN COUNT está saindo da caixinha que é uma beleza, hein?

Acompanhar os capítulos conforme saem no Japão tem sido, não um turbilhão, mas sim uma "montanha-russa" de emoções: no início, você vive toda a ansiedade torturante daquela subida, mas, chegando ao pico, a descida é de uma velocidade alucinante.

Vou adiantar que, depois dessa noite no apartamento de Kurose, os eventos se sucedem engatando a segunda marcha - quero dizer, uns poucos capítulos atrás, estávamos criando raiva de uma bendita garrafa d'água que Shirotani sequer conseguia compartilhar, quiçá beijar alguém a essa altura do campeonato, né? Eis que, dali a pouco, Kurose usa sex toys com o secretário. Oi? Calma, filho! 😨

***

O que nos leva à parte mais polêmica sobre a obra (fora questões éticas médicas de um profissional não se relacionar com seu paciente): Shirotani foi estuprado?

A princípio, sim, eu acho que o início disso tudo foi com estupro, embora estivesse mega relutante em admitir isso, porque não fazia o feitio da Takarai-sensei até então. Embora seja normal para mim deixar de lado títulos com estupro, eu continuei a leitura porque acabei gostando mais dos personagens do que do enredo. Assim, acompanhar o Drama CD reparando na interpretação dos dubladores, relendo os capítulos e juntando o que ocorreu nos capítulos seguintes, me fez pensar numa teoria parcial que gostaria de compartilhar aqui.

Embora o Kurose ainda não saiba exatamente o que deu origem à misofobia do Shirotani, acredito que ele tenha percebido uma confusão na interpretação do secretário sobre certas coisas que, em geral, são agradáveis e prazerosas: em vez de aceitar de bom grado, ele reage com uma grave repulsa. Há uma passagem em que Shirotani afirma não sentir aversão nem nojo pelo que Kurose fez com ele, mas sim pelo que ele mesmo sente nessas horas.

Ainda, eu digo que Kurose está ciente disso por uma passagem na qual faz um fellatio com Shirotani e pergunta se ele estava com receio de se sujar ou de sujar o terapeuta. O verbo sujar em japonês é yogoreru e ele também pode ser usado com o significado de "macular", "tornar impuro" - isso pode indicar que, apesar de não ter consciência disso, Shirotani tem medo de contaminar Kurose (ou qualquer outra pessoa) com a sua lascívia, ou seja, ele se considera sujo, impuro. Nos capítulos seguintes, é revelado o provável motivo dessa interpretação distorcida: a censura por se sentir excitado, quando criança, ao testemunhar seu pai e uma estudante tendo relações.

Acredito que, embora suas intenções não sejam puramente "terapêuticas" e aqui estejam sendo quebrados todos os protocolos médicos, morais e éticos possíveis, Kurose está submetendo Shirotani a um "tratamento de choque" - e, sendo contra a sua vontade, obviamente trata-se de estupro. Sem "mas".

Eu não gosto de como o enredo foi desenvolvido até esse ponto, porque desvalorizou totalmente um detalhe que pude captar na interpretação dos dubladores no Drama CD, difícil de se perceber com a leitura pura do mangá: na primeira noite dos dois, Shirotani fala várias vezes kimochi warui (tipo "que nojo") durante a Hora H, mas a sua voz está embargada de prazer, como se estivesse falando, na verdade, kimochi ii (algo como "que bom"). Sei que parece um discurso subversivo - em que "não quer dizer sim" -, mas antes que joguem pedras em mim, é bom lembrar que toda a gravação dos Drama CDs foi orientada pela própria Takarai-sensei, ou seja, todo o jeitinho de falar dos dubladores passou pelo crivo da autora!

É uma pena. Se isso tivesse sido melhor desenvolvido - sem esse recurso maldito do estupro, de preferência -, teria sido um detalhe e um momento plenamente maravilhoso. É lamentável que este trabalho tenha sido tão maculado pela influência do editor...

***

Pronto! Já lavei minha alma e agora já podemos falar sobre o Drama CD em si: gente, que dublagem maravilhosa! Maeno-san continua perfeito, né? Eu sei que estou longe de ser pouco bias, mas realmente não sei como ele consegue transitar tão bem da costumeira apatia do Kurose para o fogo doido desse homem por baixo daquele poker face, tudo com umas leves alterações de voz. Aiai, dá até uns calorões ouvindo os moans dessa criatura! 💘

Sobre o Shin-chan, eu estava um pouco apreensiva sobre como ele interpretaria um Shirotani excitado, já que boa parte dos ukes que ele fez e que eu conheço são meio escandalosos... Felizmente, ele conseguiu imprimir bem o "gap" entre o semblante relutante de sempre do secretário e o seu eu todo derretido de prazer nas mãos do Kurose... Enfim, sério, fez muito calor enquanto ouvia, huahuahua! 😏

Referências


Seme | Kurose Riku (CV: Maeno Tomoaki)
Yukina Kou (Sekai-ichi Hatsukoi), Camus (Uta no Prince-sama), Natsume (Brothers Conflict);

Uke | Shirotani Tadaomi (CV: Tachibana Shinnosuke)
Tomoe (Kamisama Hajimemashita), Yoshino Chiaki (Sekai-ichi Hatsukoi), Naoki (Tight-rope OVA).

Confira também


BLCD: TEN COUNT Vol. 2

No finalzinho de abril, ganhei um mega presente de aniversário: a visita de uma amiga muito querida de São Paulo. Sendo sincera, não estou muito acostumada a receber visitas em casa - acho até que a última vez que isso aconteceu já tem anos -, mas é claro que a receberia, ainda mais depois de uma linda proposta que ela e mais outra amiga fizeram para me receberem em Sampa na véspera de Natal do ano passado. Infelizmente, não pude aceitá-la, mas não é digno de se apaixonar ainda mais por essas pessoas fofas da minha vida, com um convite desses? É por isso que, desde então, me refiro a esta amiga querida como "Marida". ♥

Considerando as atrações da cidade de onde a Marida veio, além da sua curta estada, confesso que fiquei bem insegura para impressioná-la ao mostrar Curitiba, ainda que ela nunca tenha realmente vindo para cá antes. Felizmente, deu tudo certo e acho que consegui cumprir a missão, com direito a muitas lembranças boas dos momentos juntas! Passeamos com o ônibus turismo e paramos em alguns dos maiores pontos turísticos da cidade; essa foi uma oportunidade muito bacana para mim também, pois não passava por vários desses lugares há um tempão, embora viva aqui há anos.

Mas Houston, temos um problema: com toda essa diversão que tivemos, não tinha ideia do que fazer na manhã do último dia da estada. Foi então que lembrei de um compromisso que marquei com a Marida de brincadeira, mas que agora poderia ser cumprido: levá-la à Casa da Bruxa. Batata! Madrugamos, pegamos o ônibus e fomos para o Centro.


Vocês lembram da história de João e Maria e a casa feita de doces que descobrem ao se perderem? A casa saiu do meio daquela floresta e se instalou no centro de Curitiba para encantar pessoas de todas as idades! Inspirada nas candy houses americanas, a Casa da Bruxa tem a proposta de oferecer "doces com magia" e acho que conseguiu, hein? O feitiço foi me fazer voltar à infância e só poderia acontecer isso mesmo quando se está assim, cercada por um monte de guloseimas!



A Casa da Bruxa tem um vasto repertório de doces que fogem do "comunzão", isto é, vai daquelas guloseimas no saquinho dos quiosques de shoppings, passa por delícias vindas direto de Gramado, dá uma volta por quitutes adultos licorizados, até chegar a doces importados e raros de se encontrar nas gôndolas dos supermercados. Há ainda chocolates originais da loja, alocados em embalagens fofas e criativas, que também valem muito a pena experimentar!






Você não viu errado, não: é ovo de Páscoa de Jack Daniel's passando na sua tela mesmo!

Achei muito legal a loja oferecer muitas opções de presentes, que podem acompanhar os doces perfeitamente: são latas com canecas dos personagens Disney, almofadas e pelúcias da Turma da Mônica, sacolas amarelonas dos Minions...! Todos os cantos são de encher os olhos e é difícil sair de lá sem levar uma lembrancinha para o seu ente querido tão formigão quanto você.





Quem é amante de refrigerantes também tem um espaço especial na loja, pois tem uma variedade daqueles sabores diferentes que a gente só vê nas gôndolas de Free Shops ou em contas de Instagram gringas, como Dr. Pepper!


À época que fiz a visita com a Marida ainda não tinha sido aberto, mas agora a Casa da Bruxa do Centro tem um espaço bem legal no segundo andar, onde a própria bruxinha conta histórias para as crianças! Além disso, geralmente todo o fim de semana tem personagens visitando a loja para recepcionar os clientes, como princesas Disney e super-heróis...




Não precisa nem dizer que me apaixonei por essa loja, não é mesmo? A partir de agora, um pulinho até o Centro sempre valerá mais a pena, seja para curtir algum doce ou chocolate diferente, ou para tornar a vida dos amigos queridos um pouco mais doce. ♥


Além da loja do Centro, a Casa da Bruxa já abriu mais duas lojas em Curitiba, cada qual representando um cômodo diferente da sua grande casa - que está se revelando como a própria cidade, né? Este é o quarto da bruxinha, que fica na Emiliano Perneta; o banheiro foi aberto na Comendador Araújo há pouquíssimo tempo e a sala (se não me engano) fica na Francisco Rocha, no Batel. Ainda tenho de ir lá e, quando for, trago as novidades para cá!

Casa da Bruxa
Rua Emiliano Perneta, nº 22 - Centro
Tel.: (41) 3040-6441
SiteFacebook | Instagram

19.5.15

Casa da Bruxa, a magia dos doces em Curitiba

O Blog tem Instagram » @subindonolustre

© Subindo no Lustre. Design by Fearne.