Nesses dias, minha mãe viu um clipe recente do Arashi e comentou: "nossa, o Arashi está muito velho para você, hein". Claro que foi uma brincadeira, implicando com os meus gostos, mas se alguma coisa faz sentido aqui em casa é o fato de que sempre há meias verdades nas nossas piadas - no caso, era o que a minha mãe realmente pensava a respeito.

Eu não entendo bem o sentido dessa cutucada, de verdade. Quero dizer, óbvio que eles estão envelhecendo e estão atravessando a casa dos trinta, mas aquela dose homeopática do elixir da juventude que eles tomam antes de dormir ainda está funcionando - eles estão tinindo! Além disso, esses meninos são vinho de alta qualidade, ficando melhores e melhores com a passagem dos anos.

O que me incomoda mesmo é esse "velho para você". Veja bem, sei que tenho um gap de até dez anos com os membros do Arashi, mas eu já estou a anos-luz da fase das fantasias, em que "fulano é meu", "quero me casar com ele", "ninguém tasca". Acho os meninos bonitos sim, mas hoje o que vejo são artistas que transcendem faixas etárias, agradam os mais diversos gostos musicais, promovem grandes espetáculos com seus shows, arrancam gargalhadas e emocionam com sua modéstia e profissionalismo. Como não gostar dessas pessoas, desses seres humanos? ♥

Então, começo a me perguntar que artistas, segundo a concepção da minha mãe, eu "deveria" estar admirando... Só posso gostar de artistas da minha faixa etária? Não posso admirar ídolos mais velhos? Estranho, porque ela mesma gosta de senhores como George Clooney, Richard Gere e até a banda Roupa Nova e eles já atravessaram quase duas dezenas a mais que a sua idade. Não faz muito sentido.

Esses "tiros no pé" não são raros aqui em casa e eu tento sempre promover um exercício de retórica quando algumas brincadeiras do tipo aparecem. Posso parecer chata nessas horas, mas tem um propósito maior: preparar o pessoal para a vida lá fora, quando as pessoas que se ofenderem cutucarem na hipocrisia de verdade, aquela que dói mesmo. Para evitar esse tipo de situação, tento fazer com que meus pais reflitam antes de jogar uma tirada e elaborem o texto melhor. E olha que eu sou uma das que mais pegam tirada no ar, hein? Mas é um exercício de reflexão que eu mesma faço por experiência própria, embora não seja 100% à prova de erro...

Bom, apenas voltando ao Arashi para finalizar, eu acredito que não vou deixar de gostar do grupo mesmo depois do sucesso decair, os passos de dança ficarem menos elaborados e se tornarem um daqueles grupos de senpais zelosos pelos mais jovens em ascensão. Tenho a plena certeza de que se manterão fieis à sua missão de trabalhar duro para fazer ao menos uma pessoa sorrir e essa máxima é a fonte principal da minha admiração por eles, o que independe de rostinhos bonitos ou idade.

Obs.: não estou brava com a minha mãe, não se preocupe. ♥

20.5.14

Não são só rostinhos bonitos

O Blog tem Instagram » @subindonolustre

© Subindo no Lustre. Design by Fearne.